[Ituano x Santos] Cícero e Nunes foram os nomes do jogo

Cicero_santos-ituanoA equação é simples: Santos jogando contra um time mais retranqueiro + alterações [duvidosas] do Muricy = placar magro e jogo sem brilho. Junte tudo isso a Neymar apagado e o que mais ganha os noticiários depois do jogo é a tal da discussão entre o camisa 11 e o técnico do Ituano. Chatice, hein?

Post completo lá no Canelada

Superliga (enfim) mais disputada

O campeonato paulista já estava rolando há algum tempo, mas assisti ao primeiro jogo pela televisão só no dia 12 (não tenho certeza, mas acho que foi o primeiro a ser televisonado). Uma disputa que promete dar mais competitividade não só ao paulista, mas principalmente à  próxima temporada da Superliga feminina: Sollys/Osasco x Amil/Campinas.

A 19ª edição da Superliga começa em novembro e contará com 10 times femininos: Praia Clube, Rio de Janeiro, Campinas, Osasco, Pinheiros, São Bernardo, São Caetano, Sesi, Rio do Sul e Minas.

A esperança trazida pelo recém formado time do Campinas é que as próximas finais da Superliga não sejam mais tão monopolizadas entre Osasco e Rio de Janeiro. O crescimento do time do Sesi, que fez novas contratações (a central Fabiana e a oposta Tandara, por exemplo) e chega mais entrosado para essa temporada, também promete esquentar a disputa.

Voltando ao jogo do paulista, Campinas tem expectativas positivas. Treinado pelo tri-campeão olímpico José Roberto, o time tem veteranas como Waleswka, campeão olimpíca em Pequim, a levantora Fernandinha, campeã em Londres, a central Natasha, ex-Minas e a cubana Daymi Ramirez. Além de jovens promessas como Priscila Dairot e Ju Nogueira. Ontem também  foi oficializada mais uma contratação : Vasileva, ponta da seleção da Bulgária. Ainda é cedo para medir resultados, mas à medida que o entrosamento aumente, a expectativa é que o time brigue pelas primeiras colocações.

Já o Osasco que tinha um forte time na temporada passada, se reforçou ainda mais. Fazendo jus ao apelido de “SeleOsasco” entoado pela torcida, o elenco é praticamente a Seleção Brasileira toda. Isso porque além de Jaqueline, Sheila, Thaisa e Fe Garay, a líbero Camila Brait e a levantora Fabíola também já integraram o grupo da seleção, foram cortadas às vésperas da Olimpíada.

O jogo do dia 12 foi vencido por 3×0 pelo Osasco. Resultado mais que natural de um time já acostumado a jogar junto (quer seja no Osasco ou na seleção). Mas o Campinas ainda guarda boas surpresas nos próximos meses.